Dias úteis: 09h às 20h | Sábados: 10h às 18h 913 400 204 geral@recriarsentidos.pt

Olá. O meu nome é Daniel. Tenho 29 anos e moro em Gaia. Sou gestor de projeto numa empresa de software de gestão. Sou uma pessoa como outra qualquer, com os seus defeitos e virtudes, com os seus gostos e desgostos. No dia 26 de Maio de 2018, num ambiente público, mas descontraído, feliz e conhecido, tive um ataque de pânico sem razão aparente. Na realidade, os problemas de ansiedade constantes e intensos já vinham desde há meses. No entanto, achei que era possível controlar, além da vergonha inerente que é natural quando se admite este tipo de fraqueza. Sobrevivi a esse episódio sem que ninguém se apercebesse, mas, naquele momento, acordei para a dura realidade: precisava de ajuda. Após vasculhar pela internet, encontrei na Clínica Recriar Sentidos uma possível resposta para a minha situação. Sabia, de antemão, que não iria ser um caminho fácil, com solução rápida. Mas, em abono da verdade, nada o é. Aquilo não era uma constipação. Era bem mais sério que isso. Pasme-se como um rapaz normal de 28 anos tem um problema na cabeça… Mas acontece. Com efeito, pode tocar a qualquer um. A 29 de Maio tive a primeira consulta. Encontrei na Dra. Patrícia Pereira uma psicóloga capaz e presente, preparada para percorrer comigo o caminho das pedras. E assim comecei… Mas, verdade seja dita, já acordei tarde. A 04 de Junho, não resisti e deixei-me cair. Foi tempo de adicionar a psiquiatria à terapia. Embora não coordenados, o seguimento aconteceu em paralelo, com cada um a aplicar a sua terapêutica. E resultou! Mas é na psicologia que me quero focar. Porque é aí onde é feito o verdadeiro trabalho. E a verdadeira aprendizagem. Sim, porque isto dá trabalho. São técnicas que vais ter de treinar e aplicar, são registos que vais ter de fazer e actualizar. E vais ter de te dar a conhecer para que te possam ajudar. O caminho é duro. E foi duro, sem dúvida. E vai continuar a ser. A terapia exige compromisso com o trabalho, mas existe um muito mais importante: o compromisso intrínseco, ou seja, a intenção de querer melhorar. Se ambos existirem, é meio caminho andado. O restante faz-se caminhando… E assim foi. Na terapia aprendi a lidar, a pensar um pouco mais, a ter mais controlo sobre mim. A terapia mudou-me. Sobre isso não tenho dúvida nenhuma. Para o melhor, espero eu… Mas na Recriar Sentidos encontrei, acima de tudo, um porto de abrigo. No momento da consulta, a vida pára e deitas cá para fora os teus problemas. Descreves o que sentes e o que te chateia, o que te limita e deixa parado… E ouvem-te! Sem qualquer julgamento… O “tens de ter força” ou o “tens de fazer isto ou aquilo” não existe. Equipam-te sim com ferramentas para que possas, ao teu ritmo e com as tuas forças, marchar em frente. Porque seguir em frente é mesmo o melhor remédio. Pese embora usufrua de uma família e amigos muito próximos, a Dra. Patrícia é, de longe, a pessoa que me conhece melhor e mais capaz esteve para me acompanhar. A dia 11 de Maio de 2019 tive alta da terapia e deixei este testemunho. Não quer dizer que não volte. Aliás, espero voltar. Primeiro, para contar boas notícias. Segundo, para resolver outros pendentes avulsos, onde acredito que possa ser ajudado. Terceiro, para rever a Dra. Patrícia, que, além de uma excelente profissional, é boa gente. Embora tenha alguns tiques esquisitos com as pernas… Um aviso à navegação: o stress do dia-a-dia não desaparece com a terapia, a pressão do trabalho não diminui, nem as expectativas familiares ficam diferentes. Ficas sim capaz de responder, de reagir, de te adaptares ao mundo que te rodeia. Não dão o peixe, ensinam a pescar… E bem! E é esse conhecimento que já não te deixa encolher, enche-te o peito de ar e faz encarar as coisas de frente. É essa preparação que não te deixa desmanchar em cacos, segura-te, ajuda-te a processar e a continuar de cabeça levantada. O querer ninguém te ensina. Mas, se queres, vais aprender como se faz. Eu aprendi. Não é que seja grande exemplo de sucesso. Mas estou melhor e sinto-me mais capaz. E isso fez com que viva uma vida mais feliz. No trabalho ou em casa, na intimidade ou em público. Isso tenho a agradecer à Dra. Patrícia Pereira. Se eu consegui, acreditem que é possível. Ela é capaz. E tu também! Um abraço e boa sorte.