Dias úteis: 09h às 20h | Sábados: 10h às 18h 913 400 204 geral@recriarsentidos.pt

As crianças também têm os seus problemas e dificuldades e, por isso, é normal que também elas se sintam tristes e irritadas de vez em quando. Mas, é importante perceber a diferença entre a tristeza e a depressão infantil. Conheça neste artigo as diferenças entre uma situação de maior infelicidade e a depressão na infância.

Saiba o que é a depressão na infância, as suas causas, os sinais de alerta e os principais sintomas de depressão nas crianças.

Depressão infantil –
Será tristeza ou depressão?

Em primeiro lugar, para compreender se o seu filho está triste ou deprimido é importante identificar quais os sintomas que apresenta. Além disso é também essencial contextualizar o início e a forma de desenvolvimento desses sintomas. Assim, se os sintomas começarem a aparecer depois de um acontecimento significativo, as alterações de comportamento são adaptativas e normais. São exemplos destes acontecimentos: a morte de uma pessoa querida, a perda de um animal de estimação ou a vivência de um processo de divórcio, a tristeza e/ou a irritação. Contudo, se estas alterações se mantiverem ou agravarem ao longo do tempo, pode ser um motivo de preocupação. Logo, é importante estar alerta.

O que é a depressão infantil? Como se manifesta?

A infância nem sempre é a melhor fase da vida!
A depressão infantil é uma problemática muito frequente. Contudo, passa muitas vezes despercebida aos olhos dos adultos. A depressão nas crianças é comum sobretudo, em crianças entre os 9 e os 17 anos.

Diagnóstico da depressão nas crianças

O diagnóstico é particularmente difícil de ser feito pelos pais. Acresce que, nas crianças à tristeza muitas vezes associam-se outros sintomas menos óbvios como a hiperatividade, agressividade e irritabilidade. Assim sendo, estes sintomas levam a que os pais, muitas vezes, confundam um estado de depressão infantil com rebeldia e problemas de comportamento.

Habitualmente, a depressão nas crianças está também associada a problemas na escola (quer de aprendizagem, quer no relacionamento com os colegas), bem como dificuldades relacionais na família.

Sinais de alerta de depressão na infância

Além das alterações de comportamento visíveis, existem também alguns sinais aos quais os Pais devem estar atentos. São exemplos, conversas sobre a morte, sentimentos de culpa e autocrítica frequente. Além disso, o retrocesso no desenvolvimento que pode ser manifestado, por exemplo, numa fala “abebezada”, o voltar a fazer xixi na cama, as brincadeiras infantis para a idade.

Naturalmente, há sintomas mais comuns de depressão infantil, aos quais deve estar particularmente atento e que apresentamos de seguida.

Sintomas de depressão infantil

  • Tristeza prolongada
  • Irritabilidade e agressividade
  • Ansiedade
  • Sentimentos de desvalorização e culpa
  • Isolamento
  • Perda de interesse em atividades antes prazerosas
  • Sintomas físicos (e.g., febres recorrentes, vómitos, dores de barriga, cabeça)
  • Alterações na alimentação (e.g., perda de apetite ou mesmo recusa alimentar)
  • Alterações no padrão do sono (e.g., dificuldades em adormecer ou sono agitado)
  • Perda de energia e lentificação motora ou hiperatividade marcada
  • Enurese (ausência de controlo sobre a urina) e/ou encoprese (ausência de controlo sobre as fezes)
  • Automutilações

Depressão na criança – O que fazer?

Em suma, a depressão infantil, por se manifestar de forma distinta dos adultos, pode ser de difícil reconhecimento. É, por isso, fundamental que esteja duplamente atento às alterações emocionais e do comportamento da(s) vossa(s) criança(s). Logo, avalie os sintomas presentes e perceba se são transitórios ou se têm persistido e/ou agravado ao longo do tempo. Além disso, mostre-se disponível para a ouvir e compreender a sua dor. Mas, relembramos que deve respeitar os seus sentimentos e dar afeto.

Caso esteja perante uma eventual situação de depressão da criança, não hesite em procurar orientações junto de um profissional. Naturalmente, é importante a procura de ajuda atempada para evitar que os sintomas apresentados evoluam para um quadro depressivo crónico.

Se precisar de um aconselhamento específico, saiba que dispomos da Consulta de Aconselhamento a Pais. Poderá, ainda, esclarecer dúvidas na nossa Consulta Informativa Gratuita. Poderá optar por consulta em Gaia, no Porto e na Maia.

Faça a sua marcação através do número 913 400 204 ou email: geral@recriarsentidos.pt